terça-feira, 30 de maio de 2017

A propósito do post anterior

Deparei-me com vários comentadores que me apelidaram de retrógrada, entre outros mimos, por não achar normal que uma mulher venda o corpo em troca de álcool. Caramba, nem é preciso ir tão longe, esta gente acha que as mulheres são livres de se vestirem como lhes apetece e der na real gana pelo que não há qualquer problema em que se vistam de nuazinhas para ir trabalhar.
De repente veio-me à memória uma situação, cheguei ao escritório num dia em que não era suposto lá ter ido mas que, derivado de situações várias tive de ir, para trazer uns papeis, e lá estava a minha assistente, top cavado e curtinho, barriguinha de fora, chinelos nos pés. Até se encolheu quando me viu, embora não tanto como quando a mandei ir a casa trocar de roupa. A falta de noção e de saber estar é uma coisa tremendamente triste, gostava de ver se esta gente que acha que "o corpo é delas, fazem com ele o que querem", diria a mesma coisa se nessas figuras tristíssimas não estivessem umas estranhas quaisquer mas sim as suas filhas ou mães.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Há quanto tempo não fazia um post sobre feminismo?

Triste é a sociedade quando nos revoltamos com os marotos dos homens, os safados que nos lançam piropos e nos olham despudoradamente para as pernas quando usamos saias demasiadamente curtas, os mal educados que nos lançam olhares lascivos aos generosos decotes mais apropriados para uma saída nocturna que para um dia de trabalho, mas dizia eu que triste é a sociedade que se revolta com estas menoridades e não tece um único comentário a festas de caloiros ou queima das fitas ou lá o que é onde há barracas que oferecem shots às raparigas que acedem em mostrar as mamas ou trocar, eu ia dizer beijos na boca mas a palavra certa é linguados, com outras raparigas para gáudio de várias dezenas de anormais do género masculino. E darem-se ao respeito? Não? Ah!... Já me esquecia, as mulheres são livres, têm direito a usar as mamas de fora, a venderem beijos lascivos, reu beu beu, pardais ao ninho. 
Filha minha e levava era umas bofetadas, daquelas bem aviadas, passava-lhe imediatamente a vontade de vender mamas e beijos a troco de comas alcoólicos à borla.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Dei uma rápida vista de olhos a alguns trinta blogues

Em nenhum vi qualquer referência a Manchester, sinto um misto de náusea, tristeza e revolta quando penso que isto dos atentados terroristas na Europa, perpetrados por extremistas muçulmanos, já se começa a tornar rotineiro. É fácil aos nossos políticos dizer que isto não é um problema de religião, esconder a cabeça enquanto nos dizem para não ter medo, que o que interessa é manter o nosso modo de vida. Afinal nunca são eles a chorar os filhos e pais mortos, não é?

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Isto anda tudo ligado

Desde os primórdios do blog que tenho algumas comentadoras que não gostam nada do que escrevo, que isto quem não gosta não é obrigado a ler, que eu tenho é de escrever sobre as coisas cá da minha vida, como se a mim me apetecesse espalhar a minha rica vidinha nos blogs, que gozar a exposição alheia é que não, olha a malvada da Picante sempre a rir do próximo, de certeza que é uma velha seca que não tem sexo porque ninguém lhe pega. A mim sempre apeteceu publicar e responder a este tipo de comentários, nem sequer lhes dava a resposta mais óbvia, que podiam fazer aqui exactamente aquilo que (me) criticavam, bastaria não me lerem para serem muito mais felizes. Adiante. 
Só quando a autora do Quadripolaridaes e logo depois a Maçã de Eva acharam que tinham descoberto a minha identidade e consequentemente fizeram uma espécie de chantagem nada subliminar a ver se me calavam, coisa mais feia  senhores, é que começaram a deixar por aqui comentários mesmo odiosos. A coisa passou, as senhoras lá perceberam que me estou nas tintas para o facto de o resto do mundo saber o meu verdadeiro nome e os comentários anónimos também acalmaram. Recomeçaram há coisa de uns meses, final do Verão para ser mais exacta. Engraçado terem recomeçado numa altura em que praticamente deixei de alimentar o Picante, quer por falta de tempo, quer por falta de paciência, a verdade é que cada vez acho menos graça à blogosfera e entre vir aos blogues ou ver uma série escolho sempre a última. Engraçado ter calhado logo agora em que praticamente abandonei os meus temas favoritos í.é. as minhas queridas Rosinhas . Nem é que os comentários me aborreçam, não estando para lhes responder limito-me a eliminá-los e pronto. Mas ando aqui num desassossego e numa aflição que me consomem, praticamente nem durmo, quem me terá tamanha raiva, caramba? Logo agora que pouco escrevo...

terça-feira, 9 de maio de 2017

Note to self

Uma rápida pesquisa pesquisa pela bloga permitiu-me identificar uma gravíssima lacuna, ele há um enorme nicho por preencher no que toca ao aconselhamento dos leitores em relação à sua forma de se apresentar em público. Estou para aqui a pensar em fazer uns posts muito lindos acerca da melhor forma de usar jeans e t-shirts, por exemplo. Ou sabrinas. Ou mesmo como estender a toalha de praia. Vai ser um sucesso, tenho a certeza.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Picante pergunta

Que raio de mecanismo é que faz uma pessoa condenar violentamente um acto mesquinho, maldoso, whatever, a outrem e não se inibir de, posteriormente, fazer exactamente o que tão violentamente criticou? 
Fico sempre de boca aberta, caramba. Mas esta gente achará que tem um estatuto especial? Os outros são energúmenos mas elas já podem?...

terça-feira, 2 de maio de 2017

E o fim de semana prolongado, Picante?

Funções, equações, áreas de papagaios, losangos e trapézios, lal, lll e ala, números racionais, operações com potencias. Isto tudo e muitos gritos. Uma alegria, portanto. Salvaram-se as douradas, os secretos e o vinho alentejano, felizmente a adolescência ainda não tem qualquer efeito nefasto nas nossas refeições.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Alive and still kicking

Em tempos li no facebook um post de alguém que apenas dizia o seguinte:
" a vida resolve-se sozinha mas é o caralho"
Na altura ri-me, agora sinto-me muito solidária. Até ao meu regresso, sim? Tenham um bom feriado.

sábado, 15 de abril de 2017

Que estás a fazer, Picante?

Então... são as noites em Salvador da Bahia, ali para os lados da República Dominicana... não se vê logo?...